Tudo tem um porquê

08.01.2018

 

“As coisas acontecem, pois precisam acontecer”, sempre pensei assim. A palavra dita, aquela noite que sai de casa, o caminho cruzado. O nome. As conversas intermináveis, os erros, o amadurecimento, ou quando não sai de casa e o telefone tocou. Era você.

 

Tudo tem um porquê.

 

Aquele dia que liguei e não atendeu, quando errei a estrada e passei em frente a tua casa. No momento que andando na rua ouvi seu nome e o tempo acendeu. Quando achei que dava pra ser diferente, começar outra vez, mas não deu. Tudo tem um porquê.

Nosso livros em comum, o jornal que você não lê, todas as notícias que posso te contar, os atros, filmes que sonhamos em ver, as músicas, a direção, você. Tudo tem um porquê.  O silêncio, as coisas que não vê, os dias de chuva que nos resguardamos em casa e bate aquela saudade gostosa de um tempo bom que não reconhecemos. A paz, a sua voz que me parecia tão familiar desde o primeiro dia. Os abraços. Você, e repito, tudo tem um porquê.

Os atrasos, eu gostar de verde e você azul, a rotina. O meu perfume com fundo de caramelo, saber minhas flores favoritas. A vida caminhar paralelamente, todas as outras pessoas não me fazer contente. Nenhuma delas é você. Não ter te visto naquele dia, as sete letras, e tudo ao nosso redor. 

 

Tudo tem um porquê.

Nessas peças que se encaixam, a vida vai se montando e trilhando o caminho que se deve trilhar. Todos os encaixes estão ali, para cumprir da forma que tem que ser. Houve um tempo que existia dentro de mim suspeitas de que o tempo se encarrega de tudo, e é a verdade. Tudo na hora certa se encaixa, feito um maquinário de um relógio cheio de marcações e esperança de um tempo melhor. Sementes jogadas nessa terra fértil com um potencial enorme de poder colher tudo que semeamos.  Só não esqueça, que tudo - tudo - tem um porquê, e ele é você.  

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now